No início dos anos 90, uma outra alternativa de combustível para carros ganhou certa força: o Gás Natural Veicular, mais conhecido como GNV. Depois de um tempo, seu uso começou a cair novamente e, hoje, o que se observa é um novo crescimento em vários estados do Brasil. Mas, você que nunca utilizou esse tipo de combustível, já parou para pensar se vale a pena ter um carro com GNV?

Neste texto, a RB Multimarcas responde essa pergunta e fala um pouco mais a respeito do Gás Natural Veicular. Mostramos exatamente o que ele é e como ele funciona no veículo, as diferenças entre ele e a gasolina e, por fim, respondemos se vale a pena ter um carro com GNV. Continue a leitura e saiba mais sobre o combustível!

 

O que é o Gás Natural Veicular

De uma forma muito básica, o Gás Natural Veicular é um gás composto por hidrocarbonetos leves, especialmente de metano e etano. Juntamente com a gasolina, o etanol e o diesel, o GNV é um dos combustíveis mais utilizados do mundo. Seu funcionamento acontece graças a várias etapas, as quais podem ser explicadas de uma forma relativamente simples.

O processo começa com o gás saindo do cilindro e indo pela tubulação de alta pressão até chegar ao redutor de pressão. Uma vez no redutor, a pressão é reduzida de forma que fique adequada ao funcionamento do motor. Depois de mais algumas etapas, o motor suga o gás, misturado ao ar, e queima a mistura — que sai pelo escapamento e faz o veículo se mover.

 

GNV x Gasolina: diferenças

A principal diferença entre o GNV e a gasolina é a mais óbvia: enquanto o GNV é um gás, a gasolina é um líquido conhecido pela viscosidade e pelo cheiro forte. No entanto, essa não é a diferença que realmente importa para o consumidor. O que é realmente importante para o motorista é o consumo de cada um dos combustíveis.

Normalmente, um carro com GNV consome bem menos que um carro com gasolina. Tendo como exemplo um automóvel que roda 1000 km por mês, um GNV a R$ 1,89 por m³ e um consumo médio de 20 km/m³, o valor mensal será de R$ 94,50. O mesmo carro, mas com a gasolina custando R$ 3,99 por litro e um consumo médio de 15 km/l, o valor mensal será de R$ 266,00.

Porém, é preciso citar tudo que precisa ser feito antes disso, e todas as consequências para o carro também.

 

No final das contas, vale a pena ter um carro com GNV?

Esses valores podem ser bem atrativos a princípio. Contudo, eles vêm com consequências que, em muitos casos, não valem a pena. Para começar, é preciso comprar o equipamento que permite o uso do GNV, que é popularmente chamado de “kit gás”. Este kit tem o custo médio de R$ 5 mil reais, o que não pode ser um investimento muito interessante de acordo com o caso.

Além disso, o kit é bem pesado. Para que a estrutura traseira do carro não seja prejudicada, é preciso que ela passe por um reforço, o que exige ainda mais investimento. Mas talvez o principal problema não seja nenhum desses, e sim com o motor. Isso porque um carro com GNV, depois de um certo tempo, fica com o motor muito prejudicado. E como você já deve imaginar, trocar um motor não é algo nem um pouco barato.

Por fim, fica claro que antes de considerar ter um carro com GNV, é fundamental que todos esses pontos sejam avaliados. Em muitos casos, eles podem não valer tanto a pena assim.

 

E aí, gostou do texto? Se quiser continuar recebendo muito conteúdo automotivo, não deixe de acompanhar a RB Multimarcas no Facebook e no Instagram!